Acolhendo as emoções

Às vezes, rejeitamos emoções que fazem parte da vida por acreditarmos que é necessário exercer uma positividade a todo momento quando na verdade faz parte da vida absorver todos os sentimentos, os bons e os considerados ruins. Afinal, é desconfortável ter que lidar com emoções negativas, então por que não ignorá-las?

Ledo engano achar que pondo uma pedra nesses sentimentos estamos superando eles. Deixar de cuidar de algo que precisa ser cuidado, acolhido, e não ignorado é flanar no caminho da nossa jornada, é viver negligenciado o nosso próprio “Eu”. Acomodar nossos sentimentos, dos mais prazerosos aos mais incômodos, é viver uma vida com sentido. Estar consciente e atento às nossas mais diversas emoções é caminhar rumo ao autoconhecimento.

Tenho pensando muito nisso depois de atravessar uma avalanche de emoções nesses últimos tempos em meio a pandemia. Como nos enganamos acreditando que estamos fazendo o melhor ao fazer vista grossa os sentimentos mais difíceis, não é mesmo? Não seria uma desatenção com nossas mais profundas questões? Não deve ser assim e não pode ser assim. Se queremos criar filhos conscientes e que saibam lidar com suas emoções precisamos primeiro tomar as rédeas das nossas próprias emoções.

Estudos sobre repressão emocional mostram que quando as emoções são rejeitadas ou ignoradas elas ficam mais poderosas. Desprezar os sentimentos é não dar espaço para que eles se dissipem em algum momento. Quando ignoramos emoções normais e naturais para buscar uma falsa positividade estamos deixando de aprender e desenvolver competências para lidar com o mundo aqui fora. Ou seja, estamos negando o que os sentimentos têm a nos ensinar.

Então como lidar com as emoções ruins? Se livrando da negação rígida e dando espaço para elas é possível traçar um exercício para extrair aprendizados a partir delas. O que esse sentimento está querendo me dizer? Por que estou me sentindo dessa forma? Como posso lidar com determinado sentimento?

Em seu livro Torna-se o que você é, Alan Watts diz: “desapego significa não ter arrependimentos pelo passado nem temores pelo futuro; significa deixar a vida seguir seu curso sem tentar interferir em seu movimento e mudança, sem tentar prolongar o estado das coisas agradáveis nem acelerar a partida das coisas desagradáveis”. Em suma, é respeitar o ritmo das coisas e seguir o fluxo da vida, vivendo o agora, sem apego ao passado e ao futuro.

Aceitar os mais diversos eventos internos em vez de se manter resistente a eles é adquirir uma resposta harmoniosa para eles. Deixe a vida fluir e escute a voz da sabedoria dos sentimentos. Um beijo grande e ótima semana!